Principais sinais de carência de vitaminas complexo B

Saiba quais são os principais sinais de falta de vitaminas do complexo B

Em busca de uma vida mais saudável, é comum que pessoas busquem diferentes fontes alimentares com as mais variadas composições, pensando tanto em macro quanto em micronutrientes. Dentro dessas opções, existe um grupo vitamínico que chama bastante atenção por conta de sua importância: As vitaminas do complexo B.

Essas vitaminas possuem uma série de funções específicas e atuam de maneira conjunta a enzimas, facilitando a transformação de diferentes fontes alimentares em energia, por isso são tão importantes e a carência de qualquer uma delas é perigosa.

Foi pensando em chamar a atenção para deficiências de vitaminas do complexo B que produzimos esse conteúdo. Confira.

As vitaminas do complexo B

Existe uma série de vitaminas do complexo B. são elas:

  • Tiamina – vitamina B1;
  • Riboflavina – vitamina B2;
  • Niacina – vitamina B3;
  • Ácido pantotênico – vitamina B5;
  • Piridoxina – Vitamina B6;
  • Biotina – vitamina B7;
  • Ácido fólico (ou folato) vitamina B9;
  • Cobalamina – vitamina B12.

Todas essas vitaminas juntas formam as vitaminas do complexo B. Dito isso, agora é hora de falarmos dos sinais de carência de cada uma delas.

Tiamina – vitamina B1

A tiamina está intimamente relacionada ao apetite, além de estar ligada ao controle da quantidade de energia que o organismo pode (e deve gastar). Os principais sinais de carência dessa vitamina do complexo B são: Falta de ar, falta de apetite, prisão de ventre, inchaço nas pernas, sono, fraqueza e sonolência

Riboflavina – vitamina B2

A vitamina B2 atua na produção sanguínea, estimula o crescimento e atua no funcionamento do sistema nervoso. Os sinais de carência são inflamações nas mucosas da boca e do nariz, feridas nos lábios, conjuntivite recorrente e sensibilidade à luz.

Niacina – vitamina B3

A vitamina B3 possui grande importância para a circulação sanguínea, além de ofertar energia para as células. Os principais sintomas de carência dessa que é uma das mais importantes vitaminas do complexo B são diarreia, enjoo, feridas espalhadas pelo corpo, vômitos e perda de peso sem causa aparente.

Ácido pantotênico – vitamina B5

A vitamina B5 é fundamental para o processo de cicatrização. Além disso, ela participa ativamente da produção de hormônios. Os sintomas mais comuns de carência são sonolência, alergias, formigamentos, formação de gases intestinais e ocorrência de cãibras.

Piridoxina – vitamina B6

A vitamina B6 auxilia na manutenção do metabolismo, além de manter o sistema nervoso e a saúde da pele em dia. Os principais sinais de carência de piridoxina são feridas ao redor dos olhos, boca e nariz, além de inflamações sem causas definidas na mucosa oral.

Biotina – vitamina B7

A biotina auxilia na absorção de outras vitaminas do complexo B pelo intestino, além de ser de essencial para a saúde de cabelos, unhas e pele. Os sinais de carência da vitamina B7 envolvem cansaço, perda de apetite, queda de cabelo, unhas quebradiças e irritações na pele.

Folato – vitamina B9

A vitamina B9 é importante para o funcionamento dos sistemas nervoso, imunológico e circulatório. Os sintomas de carência envolvem tontura, diarreia, palidez, falta de ar, irritabilidade e dores de cabeça.

Cobalamina – vitamina B12

A vitamina B12 é de grande importância na prevenção de doenças de origem cardíacas e neurológicas, auxiliando na manutenção do sistema nervoso como um todo. Os sinais de carência são anemia, formigamento nas pernas, dificuldade de concentração e falta de energia.

Quem mais sofre com carências de vitaminas do complexo B?

Idosos, adolescentes, gestantes e idosos estão dentro da faixa de risco daqueles que podem sofrer com carências de vitaminas do complexo B.

Além disso, veganos, vegetarianos, pessoas que precisam fazer uso de corticoides, que tem o hábito de ingerir bebidas alcóolicas ou pacientes com problemas intestinais também podem apresentar deficiências nutricionais dessas vitaminas.

Suplementação é eficaz, mas requer orientação profissional 

É importante destaca que em muitos casos, a alimentação não se faz suficiente para repor a carência de vitaminas do complexo B em níveis considerados satisfatórios, por isso, uma das melhores formas de garantir a reposição e manutenção dessas vitaminas se dá através de suplementação.

Suplementos vitamínicos possuem todas as vitaminas do complexo B em sua composição e são, capazes de garantir as doses necessárias para todas as faixas etárias. No entanto, para uma reposição segura e adequada é importante que haja prescrição médica para sua utilização.

Além da necessidade de se buscar auxílio médico para reposição de vitaminas do complexo B, é importante buscar por um suplemento de qualidade. Por isso, te convidamos a conhecer nossa linha de produtos.

Com mais de 50 anos de experiência o laboratório DoValle é considerado especialista na produção de complexos vitamínicos, além de outros produtos como enzimas e nutracêuticos capazes de potencializar a saúde de seus consumidores.

Quando seu médico prescrever, qualquer suplemento, a DoValle deve ser sua escolha. Conheça a nossa linha de produtos clicando aqui.

Vitaminas e o fortalecimento da imunidade: qual a relação?

Devemos observar como positivo a busca cada vez maior das pessoas em busca de saúde e compostos benéficos para o funcionamento do organismo. Um ponto cada vez mais buscado pelas pessoas é o fortalecimento da imunidade. Com um sistema imunológico mais atuante e funcional, é possível viver uma vida mais plena, feliz e claro – saudável.

A busca pelo fortalecimento da imunidade possui componentes de grande importância: As vitaminas. E sobre essa relação que falaremos hoje no nosso artigo.

Vitaminas e funções no organismo

As vitaminas são substâncias essenciais aos seres humanos, uma vez que o organismo não é capaz de produzi-las. Por isso, elas precisam ser obtidas através da alimentação ou então da suplementação.

As vitaminas desempenham uma série de funções no desenvolvimento e no metabolismo do ser humano. Entretanto, diferente do que muita gente pode acreditar, elas não são utilizadas como forma de energia ou, tampouco, material de reposição celular.

Essas incríveis substâncias agem como aditivos, que são indispensáveis para a ocorrência de pequenas reações fisiológicas e consequente funcionamento de sistemas completos. A falta de vitaminas no organismo, mesmo que em uma pequena concentração, pode causar uma série de problemas à saúde.

Fortalecimento da imunidade através de vitaminas

Manter o consumo regular de vitaminas é fundamental tanto para o fortalecimento da imunidade, quanto para sua manutenção. Algumas vitaminas específicas são capazes de potencializar o sistema imunológico. São elas:

  • Vitamina A;
  • Vitamina B6;
  • Vitamina B9;
  • Vitamina C;
  • Vitamina D.

Agora vamos demonstrar como cada uma delas age promovendo o fortalecimento da imunidade.

Vitamina A

A vitamina A possui importante papel no processo de renovação celular e inibição de quadros de infecção. Sua deficiência está relacionada à redução do funcionamento de células de defesa, como os linfócitos. Essa vitamina pode ser encontrada em óleos, vegetais, frutas e alimentos de origem animal.

Vitamina B6

A vitamina B6 participa de diversos processos metabólicos. Sua deficiência diminui a proliferação de células de defesa, reduzindo naturalmente a produção de anticorpos. Essa relação é facilmente observada em exames de pacientes portadores de HIV.

Vitamina B9

A vitamina B9 está associada ao funcionamento do sistema nervoso e prevenção a diferentes tipos de câncer. Quando essa vitamina se apresenta em baixos níveis, o organismo se torna mais suscetível a ação de agentes invasores como vírus, bactérias e fungos. O que facilita o surgimento de doenças.

Vitamina C

A vitamina C é uma grande aliada do sistema imunológico. Sua ação antioxidante é capaz de renovar as células defesa do organismo, garantindo assim, o fortalecimento da imunidade. A suplementação dessa vitamina é capaz de prevenir doenças de origem respiratória

Vitamina D

A deficiência de vitamina D promove uma série de alterações intestinais e pode influenciar no surgimento de doenças de origem autoimune. Por isso, manter seus níveis da normalidade é importante.

Suplementação também pode ajudar

Embora as vitaminas possam ser obtidas através da alimentação, muitas vezes por conta de preferências ou alergias alimentares ou até mesmo presença de alguma patologia, o consumo vitamínico pode não ser adequado, podendo causar danos ao organismo como um todo.

Pensando assim, apostar no uso de suplementos é uma maneira de garantir o aporte de vitaminas, bem como o fortalecimento da imunidade.

Se você está em busca de suplementos vitamínicos de qualidade, capazes de garantir o aporte necessário á sua saúde, conte com a DoValle. Com anos de experiência, contamos com uma linha completa de produtos, capazes de promover saúde, bem-estar e felicidade. Para conhecer todos eles, basta clicar aqui e escolher o que melhor se adapta às suas necessidades.

Vitaminas: conheça a sua importância e os benefícios que elas trazem para a saúde

Essenciais para a saúde e para o bom funcionamento do organismo, as vitaminas são indispensáveis na vida de qualquer ser humano. Confira neste artigo, do que se tratam essas substâncias, onde encontrá-las e como utilizá-las para uma vida mais saudável e equilibrada.

Afinal, o que são as vitaminas?

Vitaminas são compostos orgânicos que o organismo é incapaz de produzir ou produz em quantidades insuficientes. Assim, o ideal é que essas substâncias sejam adquiridas por meio de dieta alimentar.

Tipos de vitaminas e suas fontes

A classificação das vitaminas é feita de acordo com suas atividades químicas e biológicas. Atualmente, elas são divididas em 13 tipos:

Vitamina A

Segundo o Blog da Saúde, do Ministério da Saúde, sua deficiência pode causar problemas, como anemia e transtornos oculares, inclusive cegueira.

Também chamada de Retinol, é encontrada em alimentos de origem animal, folhas verdes e amarelas e frutas amarelo alaranjadas.

Vitaminas do complexo B

Trata-se de um conjunto de vitaminas que, antigamente, eram todas consideradas vitamina B. Com o avanço da ciência, percebeu-se que as substâncias se diferenciavam quimicamente e sua classificação passou a ser da seguinte maneira:

  • B1 (Tiamina): Importante na metabolização de carboidratos, lipídios e proteínas. Pode ser adquirida através de alimentos como legumes verdes, frutas e carne vermelha (principalmente de porco). Sua deficiência é comum em pacientes alcoólatras (beribéri);
  • B2 (Riboflavina): Atua na formação das células vermelhas do sangue. Com o crescimento, gestação e amamentação, as necessidades da vitamina B2 aumentam. O composto é encontrado em folhas verdes, vísceras e produtos lácteos;
  • B3 (Niacina): Ajuda no metabolismo de carboidratos e proteínas, além de participar da síntese das gorduras. Encontrada em carnes magras, amendoins e levedura da cerveja, sua insuficiência pode resultar em irritação intestinal e diarreia;
  • B5 (Ácido Pantotênico ou Pantenol): Atua na produção dos hormônios suprarrenais e na formação de anticorpos. Também conhecida como vitamina antiestresse, sua ação ajuda a retardar os sinais de envelhecimento da pele. Está presente na gema do ovo, brócolis, leveduras, rim e fígado de animais;
  • B6 (Piridoxina): Auxilia em diversas funções orgânicas, mas principalmente no desenvolvimento do sistema nervoso central e da função cognitiva. A substância é encontrada em alimentos de origem animal e vegetal;
  • B7 (Biotina): Incentiva a reprodução celular e a produção de ácidos graxos. Está presente principalmente no farelo de arroz, semente de girassol, lentilha e amendoim;
  • B9 (Ácido Fólico): Atua principalmente no metabolismo de aminoácidos e na síntese de DNA. Encontrada em feijões, vísceras e vegetais escuros, a substância é importante especialmente na gestação, pois ajuda a prevenir más-formações no feto;
  • B12 (Cobalamina): Ajuda no metabolismo das células, em especial as gastrointestinais, da medula óssea e do tecido nervoso. É produzida pelas bactérias da flora intestinal, mas em quantidades insuficientes. Por isso, deve ser obtida também pela ingestão de alimentos como leite, ovos, fígado e músculo;

Vitamina C

Também chamada de ácido ascórbico, trata-se de uma substância antioxidante, que protege as células dos radicais livres. A vitamina está presente principalmente na laranja, limão e acerola (de preferência, crus). É importante salientar que, embora seja um senso comum, não há comprovação científica de que a vitamina C previna gripes e resfriados.

Vitamina D

É sintetizada pelo organismo, mas precisa de ajuda da luz solar para que possa ser absorvida adequadamente. Ajuda principalmente na absorção do cálcio, sendo essencial para a saúde dos dentes e ossos.

Está presente em peixes gordos, como atum, salmão e carapau, gema de ovo, fígado e leite.

Vitamina E

Antioxidante importante no fortalecimento do sistema imunológico e na prevenção da formação de coágulos. Pode ser encontrada em frutos secos, sementes e óleos vegetais, como o de girassol, o de gérmen de trigo e o de cártamo.

Vitamina K

Também chamada de vitamina anti-hemorrágica, é importante na síntese de proteínas que atuam na coagulação sanguínea. As folhas verdes e os óleos de soja e canola são alimentos ricos nesta vitamina.

Vale lembrar que, quando consumida junto com fontes de gordura, a substância é melhor absorvida pelo organismo.

A suplementação vitamínica

Embora as vitaminas possam ser obtidas por meio da alimentação, muitas pessoas têm dificuldades de absorção das mesmas. Nesse sentido, fazer a suplementação das vitaminas em falta é essencial para a manutenção da saúde e do bom funcionamento do organismo.

Geralmente é recomendado que gestantes, por exemplo, suplementem suas dietas com ácido fólico (vitamina B9) para evitar problemas de formação do bebê. Pacientes pós-cirúrgicos também se beneficiam da suplementação vitamínica, já que suas dietas podem ficar pobres em alguns compostos, entre outros casos.

No entanto, é importante frisar que existe um nível adequado para cada vitamina no corpo humano. Tanto a falta, quanto o excesso, desses compostos podem trazer graves consequências à saúde. Dessa forma, antes de iniciar a suplementação com qualquer tipo de vitamina, consulte um seu médico.

Ficou alguma dúvida? Tem alguma sugestão? Fique à vontade para entrar em contato conosco!

Nutracêuticos: saiba em quais situações o seu consumo é recomendado

Sabemos que a alimentação é o combustível para manter o corpo saudável e estar em falta com algum nutriente pode comprometer a nossa saúde como um todo. Por isso, há hoje no mercado uma gama de produtos que suprem diversas necessidades de substâncias que não damos conta de suprir na alimentação, tais com os nutracêuticos.

As dificuldades para manter a dieta ideal são muitas: a rotina muito corrida, às vezes algum tratamento que fazemos, como dificuldade para comer um alimento específico, enfim. São muitos os contextos nos quais os produtos ajudam a deixar os níveis de nutrientes equilibrados e isso traz praticidade para nosso dia a dia.

Saiba neste artigo o que são os nutracêuticos e para que ele podem ser utilizados!

O que são os nutracêuticos

Os nutracêuticos são compostos de nutrientes isolados, os mesmos presentes em alimentos, tais como as vitaminas, probióticos, entre outros. Eles possuem os chamados compostos bioativos, os mesmos que estão nos alimentos, mas de forma concentrada. São facilmente encontrados em farmácias ou locais que vendam produtos para suplementação alimentar.

O uso na melhora da alimentação

Obviamente, se o produto ajuda a suprir a necessidade de alguns nutrientes, ele contribui para melhora da alimentação. Isso é interessante, como já mencionamos, para aqueles que têm dificuldades em consumir certos alimentos, seja por restrição alimentar ou para prevenir doenças.

Os benefícios no consumo

São notadas várias diferenças no organismo por conta dos benefícios desse tipo de produto. Há resolução de problemas relacionados às deficiências na nutrição, fortalecimento de músculos e ossos, melhora do metabolismo e também no funcionamento do intestino, a exemplo dos probióticos, a depender da função específica do produto escolhido.

Além disso, como consequências de uma alimentação equilibrada, o corpo se fortalece não apenas de forma interna como também externa, dando resultado em aspectos como a pele, por exemplo. Pensando no âmbito geral, temos o fortalecimento também da imunidade por conta do organismo estar com os nutrientes em dia, digamos assim.

Um aspecto interessante sobre esse tipo de consumo é que além de concentrados, conseguimos ingerir os nutrientes sem considerar a “parte ruim” ou não tão necessária assim de algum alimento, contribuindo para manter o corpo limpo.

O perigo dos excessos

Assim como qualquer elemento que ingerimos, também há perigos quando utilizamos os nutracêuticos em excesso. Visto que as cápsulas são concentradas e possuem muito mais do que o alimento em si, devemos consumir de acordo com a quantidade estipulada pelo médico, a fim de não causar efeitos contrários ao desejado.

Agora você já entende melhor o que são os produtos nutracêuticos e para que eles servem. O consumo desse tipo de produto é muito vantajoso se feito da forma correta. Caso se encaixe no perfil que necessita, facilmente encontrará para comprar. Manter uma alimentação saudável hoje é muito mais simples.

Lembrando que o recomendado é consultar o médico para saber as suas necessidades nutricionais e a dosagem correta do produto que utilizará para suplementar a alimentação.

Ficou interessado? Entre em contato conosco!