Saiba quais são os sintomas do câncer de mama e como identificar a doença

sintomas do câncer de mama

Outubro é conhecido como mês de combate e prevenção ao câncer de mama de forma mais aprofundada. 

No Brasil, devido às campanhas de conscientização sobre a doença, o mês acaba sendo conhecido como Outubro Rosa. Diferente do que muitas podem acreditar, a prevenção e a cura são situações totalmente alcançáveis a todas as mulheres.

Mas quer saber exatamente o que é câncer de mama, quais os principais sintomas e como prevenir-se da doença? A gente te explica tudo, é só continuar com a leitura! 

O que é o câncer de mama, afinal?

O câncer de mama é um tipo de tumor maligno que se desenvolve no tecido mamário como consequência de modificações genéticas no conjunto de células da mama, que passam a se dividir de maneira descontrolada.

Tanto em países desenvolvidos quanto em países subdesenvolvidos, esse é o tipo de cancro que mais acomete as mulheres.

Embora seja citado de maneira generalista, o câncer de mama possui tipos e subtipos. Entretanto, de maneira geral, o diagnóstico leva alguns critérios em consideração, como sua extensão e possibilidade invasiva.

Independente do tipo, é importante elencar que, na maioria dos casos, existe um bom prognóstico.

Números do câncer de mama no Brasil 

No Brasil, o INCA – Instituto Nacional do Câncer é o responsável pelo acompanhamento de números de novos casos e a elaboração de estimativas anuais para cada variação da doença.

De acordo com os números divulgados pela organização, em 2020 a expectativa é de que pouco mais de 66 mil brasileiras sejam diagnosticadas com a patologia.

Principais sintomas

Os sintomas do câncer de mama podem variar de acordo com o tamanho e o estágio. Na maioria das vezes, os estágios iniciais não apresentam sintomas. É muito comum que com o passar do tempo o tumor se torne perceptível ao toque. 

Além de formação de um pequeno caroço na mama, outros sintomas desse tipo de câncer são:

  •         Vermelhidão, inchaço ou calor na mama;
  •         Alteração no formato das mamas e/ou dos mamilos;
  •         Presença de nódulos na axila;
  •         Presença de secreção saindo pelo mamilo;
  •         Enrugamento da pele da mama – semelhante a uma casca de laranja;
  •         Surgimento de ferida sem explicação na mama.

Por isso, é muito importante a realização de exames preventivos de maneira sazonal como forma de diagnosticar a doença de maneira precoce. O Outubro Rosa acontece apenas um vez ao ano, mas os cuidados precisam ser constantes. 

Identificando a doença

A melhor forma de identificar a doença se dá por meio da realização de exames preventivos. Os mais comuns nesse caso são:

  •         Mamografia;
  •         Ressonância magnética.
  •         Ecografia;
  •         Ultrassonografia mamária.

Todos esses exames são capazes de identificar pequenas massas tumorais ainda em estágio inicial. Quando algum pequeno tumor é encontrado, a recomendação é a realização de uma biópsia para identificar se as células são tumorais ou não.

Caso o diagnóstico seja concluído, é feito então um estudo de receptores hormonais e classificação histológica para definição do melhor tratamento possível.

Conhecendo as Causas

O câncer de mama tem como causas principais alterações genéticas relacionadas à saúde das células que podem sofrer estímulos ambientais como tabagismo, sedentarismo, má alimentação, obesidade e alcoolismo.

Além disso, o câncer de mama muitas vezes pode ser resultado de um amadurecimento hormonal precoce.

De sua primeira menstruação ao início da menopausa, hormônios como progesterona e estrogênio estimulam as células mamárias normais. Nessa exposição, durante o decorrer da vida, acredita-se que o risco de desenvolvimento de câncer de mama é aumentado.

No entanto, ainda não é claro se o amadurecimento precoce de estrogênio ou demais hormônios causam o câncer de mama. O que se sabe é que mulheres que têm o ciclo menstrual antes dos 12 anos, têm filhos após os 35 anos ou passa pela menopausa após os 55 anos de idade, tem risco aumentado para surgimento da doença.

Prevenção

Como se sabe, a prevenção é a melhor forma de se combater o câncer de mama. Estudos mostram que em casos de detecção precoce as chances de cura superam a faixa dos 95%.

De maneira geral, a prevenção tem início quando a mulher atinge os 40 anos. É com essa idade que os médicos recomendam a realização de exames preventivos, como a mamografia, por exemplo. Nesse caso, o ideal é que esse exame de imagem seja feito anualmente.

No entanto, caso haja casos de câncer de mama na família, o exame deve ser feito anualmente, a partir dos 35 anos de idade.

O especialista responsável por ajudar no processo de prevenção e diagnóstico precoce é o ginecologista.

De maneira geral, além da realização de exames, a prevenção também pode ser baseada no controle a estímulos cancerígenos e fatores protetores. Estima-se que por meio da alimentação, nutrição e prática de atividade física é possível reduzir em até 30% o risco da mulher desenvolver o câncer de mama.

Evitar a obesidade, controlar o peso corporal e evitar o consumo exacerbado de bebida alcoólica são consideradas medidas básicas para prevenir o câncer de mama. Além disso, a amamentação também é considerada um fator protetivo.

Ser diagnosticada com câncer de mama é uma notícia dura e desafiadora, mas a boa notícia é que os índices de cura são extremamente altos e o prognóstico na maioria das vezes é positivo.

E já que estamos falando em câncer de mama, que tal saber um pouco mais sobre saúde da mulher? Te convidamos a ler um conteúdo que aborda o assunto de maneira profunda e funcional. Para leitura basta, clicar aqui!