O que é imunidade e como ela realmente age no organismo?

Saiba o que é imunidade e qual é o seu papel no organismo humano

Em tempos de Covid-19, a preocupação com as defesas do organismo humano aumentou de maneira considerável. Isso é natural, pois trata-se de um senso natural de auto proteção. 

Desde que essa nova patologia passou a ser considerada uma pandemia, muitas pessoas, obviamente, passaram a buscar informações sobre o funcionamento do nosso sistema imunológico. 

Se você tiver interesse em saber mais, é só continuar com a leitura! 

O que é imunidade

A imunidade é o mecanismo que o organismo humano dispõe para se defender de agentes invasores. O sistema imunológico é o sistema responsável por dar “start” nesse processo de defesa e, assim, manter o organismo funcional e livre de invasões infecciosas.

Falando de modo específico, pode-se afirmar que a imunidade são os mecanismos dos quais o organismo dispõe para combater substâncias estranhas que tentam entrar ou entram no corpo.

Ela é desencadeada pelo sistema imunológico, que atua por meio das células de defesa e pela produção de anticorpos, que agem contra determinados antígenos.

A imunidade é primordial para o organismo se defender de uma série de doenças causadas por agentes químicos ou biológicos. Além de conferir proteção, prevenindo a instalação de patologias, a imunidade pode impedir a progressão de enfermidades através da identificação e consequente destruição de agentes invasores ou mutações provenientes do próprio organismo.

É possível classificar a imunidade de diferentes formas, mas as principais são a imunidade inata e imunidade adquirida, como vamos explicar agora.

Imunidade inata e imunidade adquirida: principais diferenças e ações

Agora que você já sabe de forma breve o que é o sistema imunológico e como ele funciona em relação às defesas do organismo, podemos exemplificar as principais diferenças e ações da imunidade inata e da adquirida. 

Imunidade inata

É o tipo de imunidade com o qual as pessoas já nascem e estará sempre presente em indivíduos saudáveis. 

Essa forma de proteção atua de maneira rápida, evitando a invasão de agentes invasores – como vírus, fungos e bactérias, por exemplo.

A imunidade inata é representada por barreiras físicas, químicas e biológicas. A pele, por exemplo, é uma barreira física, hormônios e proteínas são exemplos de barreiras químicas e, por fim, as células de defesa específicas do sistema imunológico são as representantes biológicas.

Imunidade adquirida

A imunidade adquirida ocorre após contato com um agente invasor, como é o caso de um vírus, por exemplo.

Após um contato primário, ocorre uma série de reações que desencadeiam a ativação de células específicas com a finalidade de promover memória e respostas imunológicas.

A imunidade adquirida, pode ser dividida em humoral – que é um mecanismo de defesa mediada por anticorpos que foram produzidos – e em celular – que promove a destruição de micro-organismos ou células que foram infectadas por agentes invasores.

Tanto a imunidade humoral quanto a celular atuam conjuntamente na defesa e blindagem do organismo como um todo. 

Um exemplo clássico de imunidade adquirida é a catapora. Uma doença conhecida por muitas pessoas causada pelo vírus Varicela-Zoster e que só ocorre uma vez, exatamente pelo fato do organismo adquirir imunidade ao vírus após ter entrado em contato com o mesmo. 

Ou seja, há um aprendizado de como se defender e, por isso, mesmo se houver um novo contato, não haverá novas manifestações da doença.

A imunidade pode ser modulada

Agora que você já sabe o que é imunidade inata e adquirida, algo importante de ser colocado é que conseguimos modular e consequentemente aumentar nossos fatores de proteção.

As principais formas de aumentar a imunidade se dão por meio de atividades físicas, alimentação de qualidade e uso de suplementos nutracêuticos prescritos por um profissional da saúde.

Alimentar-se de forma qualitativa é fundamental para garantir a funcionalidade adequada da imunidade. Verduras, frutas e legumes devem sempre se fazer presentes na rotina alimentar das pessoas. 

Carnes, ovos, gorduras boas como azeite e sementes também são importantes para essa questão. Ou seja, para aumentar a imunidade, é preciso comer comida de qualidade e rica em valor nutricional.

A prática de atividades físicas também é importante para uma modulação positiva da imunidade. 30 minutos diários é o suficiente para produção e secreção de hormônios, além de renovação de células de defesa que são importantes para o funcionamento do sistema imune como um todo.

Agora que você já sabe o que é imunidade e como ela age no organismo, que tal aumentar seu conhecimento sobre saúde? Para isso, é só clicar aqui e acessar nosso blog que está repleto de artigos voltados ao seu bem-estar.