Os 6 nutracêuticos mais prescritos na nutrição estética

Nutrição estética

Sempre que se fala em nutrição estética, muitos pensam diretamente no consumo de alimentos e uso de suplementos voltados somente à beleza. 

Entretanto, é preciso desmistificar essa situação. 

A nutrição estética visa, antes de mais nada, a promoção de saúde. A potencialização estética é uma mera consequência desse tipo de ação. 

Foi pensando nisso, que resolvemos produzir esse artigo, mostrando quais são os principais nutracêuticos mais prescritos por nutricionistas clínicos e estéticos.

A nutrição estética e os principais nutracêuticos

Cada vez mais, a ação dos nutracêuticos é conhecida pelas pessoas. Embora a nutrição seja o caminho natural para absorção de substâncias, nem sempre a obtenção de nutrientes é possível somente através da alimentação.

Falta de tempo, condições de saúde pré-existentes, dificuldade organizacional e preferências gustativas tornam o uso dos nutracêuticos cada vez mais comuns.

A lista com os nutracêuticos mais prescritos atualmente é a seguinte:

  • Colágeno;
  • Ômega 3;
  • Probióticos;
  • Resveratrol;
  • Fitoesteróis;
  • Aminoácidos. 

Vamos falar agora um pouco sobre como cada um desses nutracêuticos age no organismo.

1. Colágeno

O Colágeno é um suplemento com alta adesão, por contribuírem para a saúde da derme como um todo, promovendo aumento da elasticidade, hidratação e consequentemente firmeza da pele. 

Por isso, o colágeno também é um ótimo aliado para evitar a formação de marcas de expressão, rugas e estrias. 

2. Ômega 3

O ômega 3 está entre os nutracêuticos mais prescritos há um bom tempo. Conhecido principalmente por conta de sua capacidade cardiovascular e neurológica, esse tipo de ácido graxo é também bastante eficaz no tratamento de desordens clínicas que atingem níveis estéticos, como celulites, alergias e ação cicatrizante.

Além do mais, o ômega 3 também colabora para diminuir a inflamação crônica, facilitando o processo de perda de peso.

3. Probióticos

Os probióticos se fazem cada vez mais frequentes na lista de nutracêuticos mais prescritos por nutricionistas. Trata-se de produtos feitos à base de microrganismos vivos com o intuito de promover o equilíbrio da microbiota intestinal. 

E quando o intestino está em pleno funcionamento e realizando suas funções de forma saudável, ele garante impacto positivo à saúde dos cabelos, unhas e principalmente da pele. 

4. Resveratrol

Outro campeão dentre os nutracêuticos mais prescritos, o resveratrol possui uma série de benefícios à saúde, uma vez que tem grande poder antioxidante, protegendo o organismo contra o estresse oxidativo.

É muito prescrito no combate à inflamações, prevenção de câncer, melhora da aparência da pele, controle dos níveis de colesterol e eliminação de toxinas do organismo.

Além disso, nutracêuticos com poder oxidante são extremamente importantes para o organismo e combatem o envelhecimento da pele, pois neutralizam radicais livres (moléculas que danificam as células e criam marcas e linhas de expressão na pele). 

5. Fitoesteróis

A prescrição de fitoesteróis cresce de maneira rápida entre os nutricionistas. A exemplo do ômega 3, esse nutracêutico é um ácido graxo, ou seja, uma gordura, porém, com alta capacidade antioxidante e anti-inflamatória.

Quando utilizado de maneira conjunta com o ômega 3, esse nutracêutico promove um controle antioxidante e anti-inflamatório generalizado, trazendo resultados como melhora do aspecto da pele, redução de líquidos, diminuição de resistência insulínica, além de facilitar a perda de peso.

6. Aminoácidos

Aminoácidos também estão presentes entre os nutracêuticos mais prescritos. Esses compostos possuem uma série de funções no organismo capazes de potencializar a saúde e refletir de maneira estética.

Os aminoácidos podem ser utilizados para manutenção, regeneração e consequentemente ganho de massa muscular, podendo assim, ser consumido por atletas profissionais e amadores, com o intuito de aumento de performance, emagrecimento, definição muscular e firmeza da pele.

Além disso, aminoácidos podem ser utilizados para a produção de neurotransmissores, como endorfina e serotonina, que são responsáveis pelo aumento da sensação de bem-estar e tranquilidade, o que favorece boas noites de sono reparadoras. Isso contribui para controle do estresse e ansiedade, além de favorecer a perda de peso e diminuir rugas, marcas de expressão e até mesmo olheiras.

Embora nutracêuticos sejam produtos de origem natural, é importante que sua utilização ocorra de maneira segura e adequada, ou seja, através da prescrição de um profissional capacitado e apto para isso.

Confie em quem tem expertise em nutracêuticos!

Agora que você já conhece alguns dos nutracêuticos mais prescritos para a nutrição estética, é importante conhecer e confiar em quem tem experiência no ramo. 

A Dovalle possui 50 anos de atuação no mercado de nutracêuticos, com esforços voltados para pesquisa, desenvolvimento, fabricação e atendimento em todo o território nacional.

Com uma equipe multidisciplinar especializada atuando nos bastidores, os produtos da Dovalle possuem qualidade desde o momento da pesquisa até a chegada aos consumidores. Por isso, na hora de consumir nutracêuticos, lembre-se da gente! 

Clique aqui e conheça nossa linha completa de nutracêuticos.

Saúde no inverno: Os cuidados com a imunidade das crianças

imunidade das crianças

Saiba quais são os cuidados com a imunidade das crianças, principalmente durante o inverno

A maioria das mães sabe que assim que seus filhos saem de casa, seja para ir à escola, creche ou simplesmente para brincar com os amigos, gripes, dores de ouvido e de garganta, resfriados e viroses podem passar a ser uma realidade.

A preocupação com a imunidade das crianças é algo que se faz presente em quase 100% do tempo dos pais. Uma preocupação real e que deve ser sempre levada a sério.

A exemplo do que ocorre com os idosos, a preocupação com a imunidade de crianças também cresce no inverno, onde problemas respiratórios tendem as acometer de maneira mais crítica e trazer complicações mais severas.

É por isso que agora que estamos entrando na estação mais fria do ano, queremos sugerir os principais cuidados que devem ser tomados. Não deixe de conferir!

Atenção à imunidade das crianças

Promover melhorias na imunidade das crianças não é uma receita de bolo, onde basta apenas seguir um passo-a-passo, mas alguns cuidados são um tanto quanto semelhantes em si.

Separamos aqueles que na opinião de pediatras e nutricionistas são as melhores ações que podem (e devem) ser tomadas para proteger a saúde dos pequenos.

1. Amamentação

A OMS – Organização Mundial da Saúde, recomenda o aleitamento materno como forma exclusiva de alimentação de bebês até os seis meses de vida.

Nutricionistas e pediatras são unânimes de que o leite materno é o alimento mais poderoso do mundo, uma vez que possui nutrientes que servem como matéria-prima para a construção da imunidade das crianças.

Após os seis meses de vida, a amamentação pode ser mantida de maneira alternada com alimentos naturais e sem a presença de alimentos industrializados até os dois anos de vida, período em que o DNA da criança ainda está em formação.

2. Vacinação

As vacinas são fundamentais para a criação e fortalecimento do sistema imunológico das crianças, principalmente no primeiro ano de vida.

No entanto, os reforços não podem ser deixados de lado, uma vez que as doses extras são responsáveis por deixar as crianças imunes a outras doenças como sarampo, gripe, febre amarela, coqueluche e poliomielite, por exemplo, e ter uma imunidade mais funcional, principalmente no inverno.

3. Higienização das mãos

Manter a higienização das mãos é outra questão de grande importância para garantir a imunidade das crianças. Afinal, elas estão levando as mãos para a boca, olhos e nariz, que são as principais portas de entrada do organismo.

Bactérias, fungos e principalmente vírus podem estar presentes nas mais variadas superfícies onde as crianças passem as mãos, e ao levá-las aos orifícios citados, pode haver contaminação.

Por isso a importância de se higienizar as mãos dos pequenos de maneira frequente.

4. Alimentação e hidratação

Nutrientes presentes nos alimentos ajudam a fortalecer o funcionamento do sistema imune das crianças.

Frutas, legumes e verduras são as principais opções alimentares que devem-se fazer presentes no prato das crianças. Além disso, carnes, ovos e leites também são importantes para o crescimento e desenvolvimento saudável e seguro.

Outro ponto importante capaz de potencializar a saúde das crianças é a hidratação. Ela torna os fluídos corporais menos espessos e mais funcionais, o que aumenta a capacidade de proteção, principalmente em temperaturas mais baixas.

5. Sono de qualidade

Por fim, é mais do que comprovado que dormir bem ajuda a criança no seu desenvolvimento, além de promover descanso, vigor e fortalecimento da imunidade.

Aqui cabe um destaque importante: a privação do sono libera cortisol, substância conhecida como hormônio do estresse, que interfere negativamente na imunidade das crianças.

Mantenha uma rotina de sono para seu filho e sempre observe de perto a qualidade das noites da criança.

ImunoValle é uma ótima opção

As dicas que acabamos de dar visando potencializar a imunidade das crianças são importantes, mas nem sempre colocá-las em prática é uma tarefa simples, o que pode afetar o funcionamento do sistema imunológico dos pequenos. Para essas situações mais complicadas, ImunoValle é uma grande ajuda.

Ele é um suplemento alimentar à base de beta-glucana associada a uma série de vitaminas e minerais específicos, como vitamina C e zinco, que auxiliam no funcionamento do sistema imunológico, garantindo saúde e segurança às crianças.

Por se tratar de um produto pensado para toda a família, Imunovalle tem uma formulação especial líquida com sabor tutti-frutti, o que facilita o seu consumo por crianças.

Se você teve interesse e quer saber mais sobre o Imunovalle, basta clicar aqui!

Para nós da Dovalle, a saúde de sua família está sempre em primeiro lugar!

Piridoxina, ácido fólico e cobalamina: a importância desses nutrientes para o corpo

O organismo humano é uma grande mistura de células e substâncias que precisam de equilíbrio para um funcionamento pleno e adequado. Todos os nutrientes para o corpo são importantes, alguns em menores e outros em maiores quantidades. 

Entretanto, quando o assunto é imunidade, algumas substâncias possuem mais importância do que as outras. 

No artigo de hoje, vamos falar sobre essas três vitaminas e a importância desses nutrientes para o corpo. 

Se você busca formas de proteger seus amigos e parentes, e também a si próprio(a), não deixe de ler o artigo de hoje.

Piridoxina, ácido fólico e cobalamina

Piridoxina, ácido fólico e cobalamina são vitaminas do complexo B responsáveis por uma série de funções do organismo humano. Saiba de que forma elas agem no corpo e quais seus benefícios a seguir! 

Piridoxina – vitamina B6

Mais popularmente conhecida como vitamina B6, a piridoxina foi descoberta no ano de 1938 e, após alguns estudos, pesquisadores mostraram que se tratava de uma substância essencial para os seres humanos, por atuar na metabolização de aminoácidos que são importantes substratos para produção energética e funcionamento corporal.

As principais fontes alimentares de Piridoxina são: Gérmen de trigo, batata, banana, vegetais verdes escuros, peixes, abacates, nozes, castanhas e semente de gergelim.

Ácido fólico – vitamina B9

Conhecido como vitamina B9, o ácido fólico foi isolado por cientistas em 1943. Desde então, sabe-se que sua carência é reconhecida como uma das deficiências vitamínicas com maior prevalência no mundo.

O ácido fólico possui, como funções no organismo, a regulação do metabolismo de carboidratos e funcionamento do sistema imunológico. Além disso, trabalha de modo conjunto com a cobalamina, atuando na síntese de DNA e RNA, participando da formação e maturação de células do sangue e tendo responsabilidade indireta no transporte de nutrientes e oxigênio pelo organismo.

A vitamina B9 pode ser encontrada em vegetais verdes folhosos, fígado bovino, beterraba, grãos integrais, nozes, amendoins, feijão, ervilha, vagem, grão de bico e cereais fortificados.

Cobalamina – vitamina B12

E, por fim, temos a cobalamina, que também é conhecida como vitamina B12. Esse nutriente atua de maneira direta no metabolismo dos aminoácidos e na formação da hemoglobina – proteína responsável por carregar e distribuir oxigênio pelo organismo.

Além disso, a cobalamina também participa da produção de células sanguíneas, sendo assim de grande importância para a distribuição de nutrientes para órgãos e tecidos corporais.

As principais fontes de vitamina B12 são alimentos de origem animal, tais como: Fígado, carne de vaca, frango, carne suína, ovos e queijos.

Beta-glucana e o papel imunológico

A beta-glucana é uma fibra solúvel e se faz presente principalmente na cevada e na aveia. Muitos estudos fazem trabalhos sobre sua fibra, que tem se mostrado cada vez mais importante para o equilíbrio do organismo. 

Por ser uma fibra solúvel, a beta-glucana diminui a absorção de glicose, o que colabora para um controle glicêmico e consequentemente hormonal, ajudando na prevenção ou controle de casos inflamatórios. 

Por conta dessas aplicações, a fibra é sugerida para otimizar o funcionamento de vias imunológicas. Além disso, pesquisas mostram que a substância é capaz de reduzir a severidade de infecções do trato respiratório. 

A importância desses nutrientes para o corpo

Como mostramos, cada uma dessas vitaminas, junto à beta-glucana, desempenha papel único, mas ao analisarmos todas elas de maneira conjunta, percebe-se que elas podem ajudar direta e indiretamente na manutenção e funcionamento da imunidade.

A piridoxina atua no metabolismo de aminoácidos, o ácido fólico atua no funcionamento do sistema imunológico em si e, de modo conjunto com a cobalamina, também auxilia no transporte de nutrientes para o corpo.

Já a beta-glucana, por fim, promove o controle de inflamações, fortalece a capacidade e resposta imunológica, além de ajudar no controle de infecções respiratórias. 

Elas são uma ótima trinca de vitaminas para as defesas do organismo. 

Potencialize o funcionamento do seu sistema imunológico

Como muitos sabem, manter uma alimentação de qualidade é fundamental para saúde de maneira geral. A ingestão de nutrientes para o corpo é muito importante, uma vez que garante o funcionamento dos sistemas como um todo, principalmente o imunológico.

No entanto, mesmo com uma alimentação equilibrada, alguns nutrientes para o corpo podem não se fazer presentes, o que deixa as defesas do nosso organismo mais suscetíveis a ataques de agentes externos. Apostar em um suplemento voltado para a imunidade é uma ótima opção, talvez uma das mais viáveis. 

Para saber mais como potencializar sua imunidade e blindar seu organismo contra invasores, a Dovalle possui uma série de suplementos nutracêuticos que podem te ajudar nessa batalha diária. 

O Imunovalle, por exemplo, é um deles: feito à base de beta-glucana e associado a vitaminas e minerais específicos, potencializam o funcionamento do sistema imune e oferecem a proteção completa que nem sempre é encontrada em todos os alimentos. 

Para conhecer o Imunovalle, potencializando sua imunidade e de todos que você ama, basta clicar aqui

O que é imunidade e como ela realmente age no organismo?

Saiba o que é imunidade e qual é o seu papel no organismo humano

Em tempos de Covid-19, a preocupação com as defesas do organismo humano aumentou de maneira considerável. Isso é natural, pois trata-se de um senso natural de auto proteção. 

Desde que essa nova patologia passou a ser considerada uma pandemia, muitas pessoas, obviamente, passaram a buscar informações sobre o funcionamento do nosso sistema imunológico. 

Se você tiver interesse em saber mais, é só continuar com a leitura! 

O que é imunidade

A imunidade é o mecanismo que o organismo humano dispõe para se defender de agentes invasores. O sistema imunológico é o sistema responsável por dar “start” nesse processo de defesa e, assim, manter o organismo funcional e livre de invasões infecciosas.

Falando de modo específico, pode-se afirmar que a imunidade são os mecanismos dos quais o organismo dispõe para combater substâncias estranhas que tentam entrar ou entram no corpo.

Ela é desencadeada pelo sistema imunológico, que atua por meio das células de defesa e pela produção de anticorpos, que agem contra determinados antígenos.

A imunidade é primordial para o organismo se defender de uma série de doenças causadas por agentes químicos ou biológicos. Além de conferir proteção, prevenindo a instalação de patologias, a imunidade pode impedir a progressão de enfermidades através da identificação e consequente destruição de agentes invasores ou mutações provenientes do próprio organismo.

É possível classificar a imunidade de diferentes formas, mas as principais são a imunidade inata e imunidade adquirida, como vamos explicar agora.

Imunidade inata e imunidade adquirida: principais diferenças e ações

Agora que você já sabe de forma breve o que é o sistema imunológico e como ele funciona em relação às defesas do organismo, podemos exemplificar as principais diferenças e ações da imunidade inata e da adquirida. 

Imunidade inata

É o tipo de imunidade com o qual as pessoas já nascem e estará sempre presente em indivíduos saudáveis. 

Essa forma de proteção atua de maneira rápida, evitando a invasão de agentes invasores – como vírus, fungos e bactérias, por exemplo.

A imunidade inata é representada por barreiras físicas, químicas e biológicas. A pele, por exemplo, é uma barreira física, hormônios e proteínas são exemplos de barreiras químicas e, por fim, as células de defesa específicas do sistema imunológico são as representantes biológicas.

Imunidade adquirida

A imunidade adquirida ocorre após contato com um agente invasor, como é o caso de um vírus, por exemplo.

Após um contato primário, ocorre uma série de reações que desencadeiam a ativação de células específicas com a finalidade de promover memória e respostas imunológicas.

A imunidade adquirida, pode ser dividida em humoral – que é um mecanismo de defesa mediada por anticorpos que foram produzidos – e em celular – que promove a destruição de micro-organismos ou células que foram infectadas por agentes invasores.

Tanto a imunidade humoral quanto a celular atuam conjuntamente na defesa e blindagem do organismo como um todo. 

Um exemplo clássico de imunidade adquirida é a catapora. Uma doença conhecida por muitas pessoas causada pelo vírus Varicela-Zoster e que só ocorre uma vez, exatamente pelo fato do organismo adquirir imunidade ao vírus após ter entrado em contato com o mesmo. 

Ou seja, há um aprendizado de como se defender e, por isso, mesmo se houver um novo contato, não haverá novas manifestações da doença.

A imunidade pode ser modulada

Agora que você já sabe o que é imunidade inata e adquirida, algo importante de ser colocado é que conseguimos modular e consequentemente aumentar nossos fatores de proteção.

As principais formas de aumentar a imunidade se dão por meio de atividades físicas, alimentação de qualidade e uso de suplementos nutracêuticos prescritos por um profissional da saúde.

Alimentar-se de forma qualitativa é fundamental para garantir a funcionalidade adequada da imunidade. Verduras, frutas e legumes devem sempre se fazer presentes na rotina alimentar das pessoas. 

Carnes, ovos, gorduras boas como azeite e sementes também são importantes para essa questão. Ou seja, para aumentar a imunidade, é preciso comer comida de qualidade e rica em valor nutricional.

A prática de atividades físicas também é importante para uma modulação positiva da imunidade. 30 minutos diários é o suficiente para produção e secreção de hormônios, além de renovação de células de defesa que são importantes para o funcionamento do sistema imune como um todo.

Agora que você já sabe o que é imunidade e como ela age no organismo, que tal aumentar seu conhecimento sobre saúde? Para isso, é só clicar aqui e acessar nosso blog que está repleto de artigos voltados ao seu bem-estar.